• Estado 09/02/19 | 10:54:57
  • Após acordo com MPSC e Procons, Celesc revisará 1.200 contas de luz
  • Se erro de cobrança for comprovado contas serão refaturadas
diminuir o tamanho do texto aumentar o tamanho do texto
  • Fonte/Autor: Assessoria de Imprensa MPSC
  • Foto: Imagem ilustrativa/Google

Em reunião com o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) e órgãos de defesa do consumidor, a Celesc (Centrais Elétricas de Santa Catarina) assumiu o compromisso de inspecionar 1.200 unidades consumidoras, de um universo de 2.000 reclamações registradas, de cidadãos de baixa renda que apresentaram as maiores discrepâncias no valor da conta de energia elétrica nos últimos dois meses. O acordo foi firmado na tarde desta quinta-feira (07).

Em caso de erro de cobrança comprovado, a Celesc comprometeu-se a refaturar as contas. Se na inspeção ficar comprovado que as faturas não apresentam erros, o consumidor será notificado e poderá parcelar o pagamento. Na primeira parcela pagará 33% do valor, e o restante pode-se parcelar em até 6x com juros. Caso o pagamento não seja efetuado, a energia será cortada em até 15 dias.

Vanio Moritz Luz, chefe de regulação da distribuidora, relacionou o aumento com o alto consumo registrado durante o verão. Segundo ele, as tarifas da Celesc não são ajustadas desde agosto, o que significa que o valor do kWh é o mesmo desde então. Ele destacou que o que tem variado é a incidência do ICMS na fatura, que para residências urbanas incide em 12% até 150 kWh, e após os 150 kWh, passa a incidir em 25%. 

O diretor exemplificou ainda que o uso de um aparelho de ar condicionado, de 9 mil BTUs, usado 8h por dia durante 30 dias, representaria R$ 124,80 na fatura. Caso o aparelho seja de 18 mil BTUs, segundo o diretor, o valor do gasto, acrescido de impostos, passa para R$ 249,60. Ainda de acordo com a empresa, em suas auditorias encaminhadas à ANAEEL, foi detectado uma margem de erro de apenas 0,07% na cobrança de energia elétrica.

comentários