• Geral 09/02/19 | 08:31:10
  • Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151
  • Os desaparecidos totalizam 165
diminuir o tamanho do texto aumentar o tamanho do texto
  • Fonte/Autor: Agência Brasil
  • Foto: Reuters

O número de mortes identificadas em razão do rompimento da barragem da Vale na cidade mineira de Brumadinho subiu para 151 de um total de 157. Sobram seis pessoas falecidas ainda sem reconhecimento, excetuando os desaparecidos.

A atualização foi divulgada nesta sexta-feira (08) pela Defesa Civil de Minas Gerais, órgão que vem centralizando as estatísticas sobre pessoas atingidas e vitimadas pela tragédia.

Os desaparecidos totalizam 165. Destes, 42 são classificados como da "lista da Vale" (membros da equipe da empresa) e 123 são enquadrados como pessoas da comunidade, como moradores e turistas que estavam no local. Na última atualização eram 182 desaparecidos.

Segundo a Defesa Civil, foram localizadas 393 pessoas. Destas, 224 foram classificadas como da lista da Vale e 169 de outras pessoas, da comunidade e turistas. O número de desabrigados ficou em 138 pessoas que tiveram de sair de seus lares ou porque as casas foram destruídas ou porque as estruturas apresentam riscos.

Duas pessoas permanecem hospitalizadas.

 

Vale se compromete a garantir empregos em Brumadinho até fim de 2019

A Vale se comprometeu publicamente nesta sexta-feira (08) que vai garantir o emprego ou salário e o plano de saúde dos seus funcionários de Brumadinho até 31 de dezembro de 2019. A empresa reuniu-se nesta quinta-feira com o Ministério Público do Trabalho (MPT), em Belo Horizonte, para discutir os parâmetros de indenização dos trabalhadores da cidade mineira e das famílias dos que morreram no rompimento da barragem da Mina do Córrego do Feijão.

Após a reunião, a mineradora também garantiu que, além de salários e planos de saúde, vai prestar o atendimento psicológico aos trabalhadores até a alta médica, pagará um auxílio-creche no valor de R$ 920 (considerando os filhos de trabalhadores de até 3 anos) e auxílio-educação de R$ 998 para filhos de funcionários até que completem 18 anos.

Na reunião no MPT, tanto a promotoria quanto a Vale apresentaram propostas. Na segunda-feira (11), o MPT vai se reunir com sindicatos dos trabalhadores para discutir as propostas, entre outros temas. Na quinta-feira (14), está marcada uma assembleia em Brumadinho com a participação do Ministério Público do Trabalho, entidades classistas, trabalhadores e familiares dos atingidos pelo desastre.

O MPT apresentou à Vale uma proposta de acordo para assegurar o pagamento de, no mínimo, R$ 2 milhões de indenização por dano individual ao grupo familiar dos trabalhadores mortos ou desaparecidos no rompimento da barragem. A indenização envolveria familiares de funcionários próprios e terceirizados que prestavam serviço para a empresa.

 

comentários