• Polícia 08/05/18 | 12:20:49
  • Mulher que estava desaparecida em Joaçaba é encontrada morta
  • Último contato com a família foi na sexta-feira (04)
diminuir o tamanho do texto aumentar o tamanho do texto
  • Fonte/Autor: Portal Éder Luiz
  • Foto: Portal Éder Luiz

Uma moradora de Joaçaba, Lucineia de Oliveira, de 28 anos, que estava desaparecida desde a última sexta-feira (04), pode ter sido assassinada. Ela teria sido morta em uma casa no bairro Vila Rica, em Herval d´Oeste. A Polícia Civil não divulgou maiores informações sobre o crime.

A Polícia Civil informou que o suspeito foi preso nesta madrugada, ele confessou o crime e indicou onde o corpo estava. O homem é ex-companheiro da vítima e ambos tinham um casal de filhos, de 2 e 3 anos de idade. O menino fez aniversário no último sábado, dia em que a mãe, segundo as investigações, já estava morta. A festa teria acontecido no dia em que Lucineia sumiu.

A relação entre ambos seria muito conturbada e Lucineia tinha uma medida protetiva contra o autor do crime.


Investigação

As investigações começaram ainda no domingo, 06, dia em que o caso foi registrado na delegacia de polícia. O atual companheiro de Lucineia procurou a polícia para registrar o desaparecimento por que estranhou o fato dela não voltar para casa, já que dois de seus filhos estavam com o homem.

Diante do fato, os policiais passaram a procurar pelo paredeiro dela e chegaram até a casa de seu ex-companheiro, o taxista Nestor da Silva, 40 anos, conhecido como "Gaiteiro", que não foi mais encontrado na cidade, levantando a suspeita de que pudesse ter envolvimento no caso. A atual companheira de Nestor estava na casa, no bairro Vila Rica, após ser interrogada ela confessou que viu o homem agredir Lucineia e que após isso deixou o local. Quando voltou, com o filho pequeno, teria visto o corpo embaixo da cama da criança, mas com medo saiu de casa e não avisou a polícia.

Diante das informações uma perícia foi feita na casa com o uso do produto luminol, que apontou a presença de sangue mesmo após ele ser limpo. Os peritos encontraram marcas no local e depois no carro do suspeito.

Com as evidências, um suspeito, mas sem o corpo para materializar o crime, a polícia foi então em busca do suposto autor. Nestor da Silva foi encontrado no município de Abelardo Luz, para onde havia fugido e se escondido numa região de assentamentos. Quando interrogado Nestor confessou o crime. Ele disse que estava sendo pressionada para reatar com a vítima, mas não queria. Quando ela teria mencionado que estava na casa de sua atual companheira foi até o local e ambos se desentenderam. No meio da discussão ele disse que deu um soco no rosto de Lucineia e depois a esganou. Depois disso ainda teria usado um carregador de celular para estrangular a vítima.

O autor revelou ainda que depois de matar Lucineia deixou o corpo embaixo da cama enrolado em um lençol. Ele disse que o crime teria acontecido às 16h e que por volta das 22h retornou, retirou o corpo, colocou em um veículo e levou até a Linha Itororó, próximo à subestação da Celesc, onde jogou em um barranco.

Diante da confissão, a Polícia Civil esteve no local e acionou o Instituto Médico Legal (IML) para retirar o corpo. Os bombeiros auxiliaram na retirada, pois o local é de difícil acesso.

Nestor da Silva está preso e responderá a princípio pelo crime de ocultação de cadáver, mas deverá responder também por feminicídio, crime que pode dar de 12 a 30 anos de prisão.

 

Desparecimento

Segundo informações, Lucineia fez o último contato com familiares por volta das 13h da última sexta-feira (04), através de mensagem no aplicativo WhatsApp. Ela comunicou que estava num ônibus e voltando para casa, depois disso não houve mais notícias por que o celular dava sinal de desligado.

Amigos informaram que esta não era uma atitude normal para Lucineia, pois sempre foi responsável e jamais deixava os filhos pequenos sozinhos.

comentários